sábado, 29 de novembro de 2008

Viagem de Expresso

Não há nada como regressar a casa todos os fins de semana numa bela viagem de expresso. Apanha-se de tudo! Vêem-se os mais diversos comportamentos, ouvem-se os mais inacreditáveis temas de conversa! É a criancinha que não pára quieta ao colo da mãe e passa toda a viagem a perguntar "falta muito?", "já chegámos?", "estamos quase lá?". Ou o neto que foi pela primeira vez na vida a Lisboa com os avós e comenta tudo aquilo que vê. É a senhora do lado, que apanhou uma grande constipação, daquelas que fazem tossir os pulmões durante a viagem inteira, de preferência sem pôr a mão à frente, e quase a cuspir a cara do vizinho do lado. Já vi até quem fizesse a depilação nas pernas com uma pinça! Uma vez apanhei duas senhoras idosas sentadas atrás de mim, que levaram todo o caminho a falar de cemitérios, campas e mortos (creepy). Depois há os (muito) jovens casais, que decidem que ali seria o local ideal para uma consulta de higiene oral, e uma pessoa não tem outro remédio senão ouvir aquelas lambuzadelas até se lhes gastar a saliva!
Sou eu que estou errada quando penso que uma viagem de uma hora num expresso é tão bem aproveitada para, simplesmente, pôr o sono em dia?!

1 comentário:

tempus fugit disse...

De Expresso entre Lisboa e Torres Vedras dormir é de facto o melhor quando já se apreciou vezes sem conta a paisagem. Pior, pior, pior do que ouvir esses comentários todos de que falas é adormecer e acordar com a cabeça deitada no ombro do homem que vai ao lado. É muito desagradável, acredita.